Jailbreak e hackeamento de leitores digitais.

O novo Kindle está bloqueado contra jailbreak e hackeamento (AQUI)

Quando algo precisa de jailbreak ou algum nivel de hackeamento (não no sentido de desenvolvimento, mas de acesso mínimo) para que exista alguma liberdade de uso de um equipamento, temos no mínimo alguma coisa em descompasso com as demandas das pessoas. Esse processo não é novo e os melhores exemplos ao longo do tempo estão ligados aos produtos Apple. Kindle passa pelo mesmo processo de burlas e alterações.

Tenho acompanhado conforme as minhas possibilidades os debates sobre os ereaders. Honestamente, se alguém precisa fazer jailbreak e hackear um aparelho para ter uma ampla experiência com ele, então é hora de tornar os aparelhos abertos e permitir o acesso a várias formas de comercialização e acesso aos ebooks.

Inclusive permite uma política mais transparente de segurança dos equipamentos e dos próprios sistemas comerciais de acesso aos ebooks. Muito das motivações para que uma pessoa queira burlar um equipamento perde força.

Cabe inclusive algumas perguntas simples: qual é o modelo de negócio que se espera com os ereaders? Captação de comportamento dos leitores usuários dos equipamentos? Oferecer o acesso aos ebooks em algum modelo comercial? Ou mesmo as duas coisas simultaneamente?

Um aparelho de leitura digital aberto, efetivamente, precisa permitir o acesso livre aos dados comportamentais dos usuários a quem investir nele. É preciso admitir um acesso não-exclusivo a este conjunto de dados. Ou nosso comportamento é uma mercadoria cara demais para que esteja disponível para mais de uma empresa?

Nossa privacidade é tão preciosa assim? É preciso repensar esse processo. Inclusive para que surjam novas oportunidades de negócio. Atender às demandas das pessoas e oferecer a elas procedimentos os mais transparentes possíveis trazem confiança e fidelidade dos usuários.

Obrigado pela leitura!

Advertisements

About mezgravis

Formado em Ciências Sociais, mestre em Geografia Humana, pesquisador da economia do livro e da ascensão definitiva das informações no sistema produtivo contemporâneo.
This entry was posted in #pmlllb_sp, Amazon, Apple, bibliodiversidade, bibliotecas, Big Data, capital monopolista, comércio eletrônico, Comportamento, comportamento do usuário, concentração econômica, distribuidoras de livros, e-books, e-readers, editoras, financiamento, iTunes, Leitores, leitura, literatura, livrarias, Marco Civil da Internet and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s